Parte III: Como montar uma Central de Rastreamento

09/07/2018

 

Chegamos ao terceiro post de sobre como montar uma Central de Rastreamento. Hoje vamos continuar falando sobre o contato com fornecedores, mas dessa vez sobre os fornecedores de chips de telefonia.

 

O chip de telefonia é um componente muito importante para que o rastreamento funcione corretamente. É através dele que o rastreador se conecta e envia informações ao nosso sistema, via SMS e internet.

 

Atualmente existem dois tipos de chips: Os chips tradicionais e os chips de dados (M2M). Para centrais de rastreamento o mais recomendado, principalmente por questões de custo e gerenciamento, são os chips de dados (M2M).

 

Leia também: Como ganhar dinheiro com o Mobiltracker.

 

Porém, ainda existe uma barreira para utilização desse chip, que é a configuração via comandos SMS. O chip M2M possui apenas dados (internet) e para que o rastreador seja configurado é necessário o uso de SMS. Algumas operadoras até oferecem a possibilidade de adição de SMS nos chips de dados, porém, o custo é um pouco alto.

 

De toda forma, optando pelo chip de dados, é importante que se escolha uma operadora que possua essa alternativa - de incluir SMS no pacote. Com isso, em caso de diagnóstico de problemas, quando o chip já está no rastreador e instalado no veículo, é possível avaliar de forma fácil o que está acontecendo.

 

O que recomendamos? Que você, dono da central, tenha chips tradicionais para testes e realização das configurações dos rastreadores de seus clientes. Uma vez configurado, é possível mudar para o chip de dados (M2M).

 

Clicando aqui você pode assistir o vídeo onde explicamos sobre como realizar essa operação de troca dos chips.

 

Tendo esse conhecimento, é hora de buscar pelos fornecedores dos chips. Para os chips tradicionais recomendamos as operadoras Vivo ou Tim, já que as operadoras Claro e Oi normalmente bloqueiam o envio de SMS para rastreamento / localização.

 

Extra! Clique aqui para assistir o vídeo onde falamos sobre o bloqueio de mensagens SMS com localização.

 

Esses chips podem ser adquiridos nas lojas das próprias operadoras, ou nessas lojas que vendem chips pré-pagos. O pré-requisito é de que o chip tenha saldo para SMS e conexão com internet - cerca de 30 mb / mês.

 

Clicando aqui você têm acesso ao fórum, onde explicamos sobre o consumo do chip de telefonia que fica dentro do rastreador.

 

Em relação aos chips de dados (M2M) recomendamos o contato com as operadoras Vodafone, Federal Sistemas, Allcom Telecom ou qualquer outra que forneça esse serviço no Brasil. Para esse tipo de chip o único pré-requisito é ter internet, também cerca de 30 mb / mês.

 

A Vodafone, por exemplo, possui dois tipos de serviço: O básico, que usa a infraestrutura da operadora Tim. E e o Vodafone +, que pega sinais de mais operadoras, mantendo sempre o de melhor qualidade como ativo.

 

Se ficou com alguma dúvida em relação aos chips tradicionais ou aos chips de dados (M2M) e seus fornecedores, deixe seu comentário. No próximo post vamos falar sobre o contato com instaladores :)

 

Já está disponível: Parte IV: Como montar uma Central de Rastreamento.

 

Equipe Mobiltracker

Please reload

Bem-vindo ao Blog do Mobiltracker!

O Mobiltracker abre mais um recurso de comunicação para seu público. Aqui, você vai encontrar conteúdo técnico, informativo e inspirador sobre o mundo que envolve essa plataforma. Sinta-se a vontade para comentar, opinar e sugerir novas ideias. Aproveite!

Posts Recentes
Please reload

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
mouse (1).png

© 2013 - 2020 Mobiltracker . Plataforma de Rastreamento